fbpx

Por Everton Edvaldo

Leitura Bíblica: (João 3.16,17)

Introdução: Uma das passagens mais belas da Bíblia, certamente, é João 3.16. Nele vemos de forma clara e comovente a manifestação do amor de Deus pela humanidade, a tal ponto de entregar o seu único filho. Através desse ato de amor, seria realizada uma obra maravilhosa, a qual até hoje subsiste, isto é, a igreja de Cristo. Para isso, foi necessário vir ao mundo, pregar as boas novas, padecer na cruz, ressurgir dentre os mortos e confiar o cetro do Evangelho a todos que nele cressem. Vejamos agora, como se desenrolaram esses fatos.

I- JESUS VEIO AO MUNDO:

  1. O filho de Deus (Jesus) existia desde o Princípio (Jo 1.1), no entanto, para que a salvação fosse dada ao homem, era necessário ele vir ao mundo em condição humana.
  2. No Antigo Testamento ele foi prometido como o Messias (Jo 1.41), termo hebraico que significa “o ungido de Deus” e conhecido no Novo Testamento como Cristo em grego.
  3. Nasceu em Belém da Judéia, aquele que saciaria a fome do seu povo, fortaleceria o fraco e daria vida ao homem e vida com abundância (Jo 10.10). As Escrituras já anunciavam que ele nasceria em Belém (Mq 5.2) que significa: “Casa do Pão”, sem esse pão ninguém chega ao céu (Mt 2.1; Jo 6.35).

II- ANUNCIOU O EVANGELHO:

  1. Após ter passado um tempo em Nazaré, Jesus foi morar em Cafarnaum (Mt 4.13) e aos 30 anos começou a anunciar o Evangelho em toda a Galileia. Seu Ministério terreno durou cerca de três anos, aproximadamente (Mt 4.23; Lc 3.23).
  2. Jesus era alguém que pregava com autoridade e por conta disso, os sinais de Deus ficavam por toda parte. Onde quer que ele passasse, haviam curas, libertações, conversões etc. Todos maravilharam-se com sua doutrina (Mt 7.28).

III- PADECEU NA CRUZ, MAS RESSUSCITOU:

Para o homem ser salvo, foi necessário Jesus morrer e ressurgir dentre os mortos. Ele fez o que nós, não podíamos fazer, e para isso continuou até o fim rumo ao calvário (Mt 16.21). Na cruz cravou os pecados do homem, lá estava Jesus morrendo pelo mundo, para que todo aquele que nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna e o perdão dos pecados. Toda sua obra foi feita por amor. Um amor Ágape, que não olha para as circunstâncias, mas é, sobretudo, incondicional. Para que se cumprissem as escrituras, Jesus ressuscitou ao terceiro dia, passou 40 dias com seus servos e por fim subiu aos céus (At 1.3).

IV- A OBRA NÃO PODE PARAR:

Os primeiros cristãos eram judeus, estes acreditavam que a salvação havia chegado apenas para eles, entretanto, Deus permitiu a perseguição para que os crentes anunciassem o Evangelho também aos gentios, só assim, a Igreja cresceu e se espalhou. Em resultado disso, muitos morreram apedrejados, outros queimados e ainda outros encarcerados e açoitados, inclusive os apóstolos (todos, exceto João, o discípulo amado que morreu em ditosa idade). Essa obra tão grandiosa feita por Cristo, tem crescido e dado frutos.

Nós cristãos, em tudo temos a plena convicção de que ele trabalha por nós e que jamais nos abandona, ainda que estejamos perto da morte. Tudo isso foi o trabalho de Cristo pela sua igreja. O dono dela é o mantenedor desta obra que não vai parar, mas continuará crescendo.

Conclusão: Mesmo após dois milênios, a obra de Cristo tem crescido vigorosamente. O mesmo Deus que entregou seu filho, hoje, nos encarrega a tarefa de dar continuidade a esse trabalho. Por isso, façamos a obra do Senhor com alegria e empenho, para que os perdidos desfrutem da salvação e sejam alcançados pelo poder do evangelho.