fbpx

 

Por Everton Edvaldo

Leitura Bíblica: (Salmos 148.1-14)

Introdução: Quando lemos o Salmo 148 notamos a ênfase que o salmista dá ao louvor proclamado por todas as esferas da criação. Ao compor este belo hino, o autor (inspirado pelo Espírito Santo), se dedicou para deixar bem claro que tudo quanto foi criado por Deus, deve louvá-lo. O salmista lança o convite a toda criação dizendo: “louvai ao Senhor!” A palavra louvai ao Senhor aparece no hebraico como “aleluia” (Hallelu-Yah), e neste Salmo temos o verbo hb. Halal que significa: “louvar”, “elogiar”, “gloriar-se”, “brilhar”. Todo o Salmo gira em torno do alcance do louvor em todas as esferas da criação. Vamos meditar nesse glorioso e riquíssimo hino.

I- NA ESFERA DOS SERES ANGELICAIS: (v. 1,2)

  1. O louvor começa primeiro com os seres angelicais. Em todo o tempo eles adoram a Deus com os mais altos louvores. Eles olham para Deus e veem nele o mais puro motivo para adorá-lo. Sendo assim o salmista revela que o louvor está presente primeiramente nos céus. “As hostes celestiais foram as primeiras a ser convidadas a louvar o Senhor YAHWEHnos mais altos céus (nas alturas).” (CHAMPLIN, 2001, p. 2517). Veja o que Davi diz no Salmo 103.20.
  2. O louvor angelical é harmônico e perfeitamente expressado. No céu não há silêncio, pois, a adoração toma conta da boca dos seres angelicais em todo o tempo (Is 6.2,3; Ap 4.8). Eles adoram apenas a Deus e não recebem adoração (Ap 22. 8, 9).
  3. Eles aparecem na Bíblia louvando a Deus na criação da terra (Jó 38.7), no nascimento de Jesus (Lc 2.13), na visão de João (Ap 7.11,12) etc. Eles também aparecem na Bíblia louvando a Jesus (Hb 1.6; Ap 5.12,13).
  4. No Salmo que estamos estudando o autor deixa claro o convite para:
  5. a) “Todos os seus anjos”;
  6. b) “Todos os seus exércitos” (legiões celestes, ARA).

 

II- NA ESFERA DA NATUREZA: (v. 3-10)

  1. A segunda esfera que é convidada para louvar ao Senhor é a esfera da natureza. A natureza também expressa seu louvor a Deus. Mas de que forma elas fazem isso? Lhe obedecendo e fazendo aquilo que Deus lhe determinou. Tudo quanto há no universo, no céu, na terra e no mar glorifica ao seu nome.
  2. O Salmista especifica:
  3. a) O sol;
  4. b) a lua;
  5. c) as estrelas;
  6. d) o céu dos céus ( o mais alto céus, NVI. Is 49.13; Sl 69.34; 89.5);
  7. e) as águas que estão sobre ele
  8. f) as baleias (monstros marinhos, ARA)
  9. g) todos os abismos (habitantes das profundezas);
  10. h) fogo e saraiva;
  11. i) neve e vapores (neblina);
  12. j) vento tempestuoso que executa a sua palavra;
  13. k) montes e todos os outeiros (Is 44.23; 55.12);
  14. l) árvores frutíferas e todos os cedros;
  15. m) as feras;
  16. n) o gado;
  17. o) os répteis;
  18. p) aves voadoras.
  19. Aprendemos com a Bíblia que a criação louva a Deus e não deve ser adorada. Na antiguidade as nações pagãs adoravam a natureza em vez do Criador. Adoravam o sol (Egito), a lua (Babilônia) etc. No mundo atual as falsas religiões estimulam seus seguidores a louvarem os astros, a anjos, animais (como ratos e vacas).  Até que ponto o mundo chegou, trocando o Deus verdadeiro por animais e a natureza.
  20. Biblicamente Deus deve ser louvado pela natureza: “pois mandou, e logo foram criados.” Logo a natureza o obedece e o louva. O que dizer dos pássaros cantando pela manhã?

III- NA ESFERA DOS SERES HUMANOS: (v. 11-14)

  1. Ao chegar na última esfera da criação, o salmista convida  todas as pessoas para louvar a Deus. Desde a nobreza (reis da terra) até a mais pequena criança. Ele insere:

 

a) Reis da terrab) todos os povosc) príncipesd) todos os juízes da terra
e) rapazesf) donzelasg) velhosh) crianças

 

  1. Tudo quanto tem fôlego deve louvar ao Senhor (Sl 150.6). Se você tem vida, louve, pois os mortos não podem fazer isso (Sl 6.5; 30.9; 88.10; 115.17).
  2. O autor conclui o Salmo explicando que devemos louvá-lo pois só o seu nome é excelso, a sua majestade é acima da terra e também do céu. Ele exalta o poder do seu povo, o louvor de todos os seus santos, dos filhos de Israel, povo que lhe é chegado. É verdade que o louvor de um santo jamais é esquecido por Deus. Ele se agrada do louvor dos seus servos. A adoração de um crente tem repercussão por toda a terra e no céu, ela atravessa as regiões celestiais até chegar aos ouvidos do Todo-Poderoso! Louvemos então ao nosso Deus com alegria!

Conclusão: Vimos nesse estudo o alcance que o louvor tem primeiramente no céu, depois por toda a natureza até chegar ao ser humano. O salmista se preocupou em gravar na alma de quem ouvisse este Salmo “que só Deus deve ser adorado”, ninguém mais. Dessa forma, o Espírito Santo nos este lindo convite: “louvai ao Senhor”. Aleluia!