fbpx

por Everton Edvaldo

Jesus conhecia muito bem sobre árvores. Como filho de carpinteiro, Jesus aprendeu a observar os variados tipos de madeira. Desde cedo ele via José serrar a madeira e bater pregos. Várias vezes deve ter carregado blocos de madeira para o local onde trabalhava seu pai.

Esse desafio diário de ser carpinteiro, fez com que Jesus meditasse em cada movimento que era realizado. Quem olhasse de fora, devia refletir que as coisas não chegam prontas na nossa vida. É preciso esforço, trabalho e investimento. Existe um caminho a percorrer, um objeto a se carregar. Do começo ao fim, Jesus nos deu exemplo disso. Ele não só carregou o peso físico, como também o espiritual ao abraçar aquela rude cruz.

O caminho foi doloroso! Como se não bastasse aquela madeira grossa e pesada, bateram pregos em Jesus. É assim mesmo, um dia você bate o prego em algo, outro dia alguém bate o prego em você. Tudo isso não foi feito sem propósito. Havia um objetivo: “Vida outra vez”.

Um dia, o ser humano já foi uma árvore bela e frutífera. Era uma árvore entre outras árvores, ou melhor, uma árvore se movimentando num jardim! Sim, era incrível! Com a entrada do pecado, esta árvore foi expulsa do jardim. Apodreceu… seus frutos foram afetados, suas raízes enfraqueceram. Ao seu redor, a terra produziu “cardos e abrolhos” (Gn 3.18). A árvore foi cortada! Não havia mais comunhão, nem esperança, nem renovo.

Para esse problema Jó disse a seguinte frase: “Porque há esperança para a árvore, pois mesmo cortada, ainda renovará, e não cessarão os seus rebentos.” (Jó 14.7)

Agora deu pra ver quem foi que Jesus carregou naquela cruz? Sim, foi você! Maldito era aquele que foi pendurado no madeiro. Ali Jesus carregou toda a maldição da humanidade, a fim de que nós tivéssemos vida!

Que obra maravilhosa! Glórias a Deus! Jesus te conhece, ele sabe sua estrutura e a trajetória que você tem percorrido. Não desanimes, segue no teu caminho até o fim, com plena convicção que ele está contigo para te ajudar. Quando tropeçares, ele não mandará você abandonar a cruz. Será diferente! Com ternura e compaixão, pegará nas tuas mãos e seguirá contigo até o local desejado. Tão somente creia, pois o carpinteiro de Nazaré está vivo!