fbpx

Por Everton Edvaldo

É muito comum ouvir pessoas dizerem que o ladrão foi para o céu no mesmo dia em que morreu, por causa do texto em que Jesus disse: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.” (Lucas 23.43).

É bem verdade que existe uma discussão em torno do termo “hoje”, porém não quero me prender a isso. O paraíso nessa passagem não pode ser o céu (onde está Deus), por alguns motivos. Por exemplo:

I- Jesus não foi para o céu quando morreu, mas desceu às regiões inferiores da terra. Efésios 4.8-10 diz: “Por isso diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro,e deu dons aos homens. Ora, isto – ele subiu- que é, senão que também antes tinha descido às partes mais baixas da terra? Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas.”

II- 
Jesus mesmo após ter ressuscitado, ainda não tinha ido ao céu. Ao ressuscitar ele disse: “Porque ainda não subi para meu Pai.” (João 20.17). Ora, se Jesus ainda não havia subido ao Pai após três dias, então não poderia estar no céu naquele mesmo dia com o ladrão da cruz.

III- Jesus foi aos espíritos em prisão quando morreu e não ao céu. Pedro disse: “No qual também foi e pregou aos espíritos em prisão” (1 Pedro 3.19).

IV- O paraíso também não pode ser o céu, porque até então todas as pessoas que morriam iam para o Hades/Sheol, incluindo Justos. Pedro falava a respeito da ressurreição de Jesus: “Porque não deixarás a minha alma no Sheol, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.” (cf. At.2:27).

Logo, o ladrão da cruz não foi para o céu no mesmo dia. Até porque Jesus estava morto e não subiu nesse mesmo dia, pelo contrário, desceu às regiões inferiores. Sendo assim, concluímos que o Paraíso não era o céu.

Já vimos que o paraíso não pode ser o céu. Então o que era o paraíso? O paraíso era o lugar de consolo para onde iam os justos mortos desde Adão. Também conhecido como “Seio de Abraão” Veja Lucas 16.19-31.

Ficava no Hades, mas separado por um grande abismo, de maneira que os ímpios ficavam em tormentos e os justos eram consolados. Ao morrer, Jesus foi ao Hades e lá proclamou sua vitória!

Dessa forma concluímos que o ladrão não esteve no mesmo dia no Céu, mas sim no Paraíso, isto é no Seio de Abraão.

Após sua ressurreição, Jesus transportou o Paraíso ao Terceiro Céu conforme Efésios 4.8-10.De maneira que quando um crente morre, ele vai para o Paraíso, aguardando a volta de Jesus para serem ressuscitados e entrarem na glória plena do Pai. Isto significa dizer que o Paraíso hoje é uma ante-sala do céu divino.

É importante deixar claro que o Paraíso está no céu mas ainda não é “A glória” propriamente dita, ou seja, os crentes não estão desfrutando do céu, como as moradas, o trono de Deus e etc.

Os crentes AINDA entrarão na glória que está reservada, onde Cristo NOS RECEBERÁ, todos juntos. Onde a Igreja triunfante e gloriosa desfrutará do céu plenamente. Ele disse: Na casa de meu Pai HÁ MUITAS MORADAS. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. POIS VOU PREPARA-VOS LUGAR. E quando eu for e vos preparar lugar, VOLTAREI E VOS RECEBEREI PARA MIM MESMO, para que, ONDE EU ESTOU, ESTEJAIS VÓS TAMBÉM. (João 14.2,3).

Veja que o versículo está apontando para o futuro, e isso só acontecerá após a volta de Cristo, logo não tem nenhum crente ainda no “céu propriamente dito”, mas todos estão no paraíso, aguardando a volta de Jesus, ressurreição, entrega dos galardões, bodas do cordeiro, etc. No final das contas todos entraremos em um Novo Céu e numa nova terra conforme Pedro e João afirmam:

2 Pe 3:13 “Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça.”

Apo 21:1 “E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.

Até lá os crentes aguardam no Paraíso, incluindo o ladrão da cruz.