fbpx

Por Everton Edvaldo

Leitura Bíblica: (Números 6.1-8)

Introdução: Quando analisamos a Bíblia, notamos que os personagens envolvidos em suas narrativas, deixaram um legado para nossa vida. Nela encontramos sacerdotes, reis, pastores, profetas, patriarcas, levitas, apóstolos, evangelistas e tantos outros que eram servos de Deus. Entre esses personagens, estudaremos sobre o nazireu, alguém que fazia um voto com o Senhor. As características que esse voto possuía, trazem lições práticas de como devemos nos comportar como um “nazireu de Deus”. Porém, como esse voto ocorria? Quais requisitos estavam envolvidos? Como esses requisitos se aplicam ao cristão? Tentarei responder a essas perguntas no decorrer do estudo. Boa leitura!

I- COMO OCORRIA O VOTO?

  1. A primeira vez que a palavra “nazireu” aparece na Bíblia é em Números 6.2, esse termo vem da palavra hebraica nazir que significa “separar”, “consagrar” “abster-se”. Os nazireus eram homens e mulheres de israel que se consagravam inteiramente ao Senhor a fim de cumprir o voto nazireu de separação. Todos podiam fazer o voto, homens e mulheres de qualquer tribo e em qualquer momento da vida.
  2. Esse voto era tomado por um período mínimo de 30 dias, onde o nazireu se dedicava e se consagrava ao Senhor. É importante deixar bem claro que haviam os nazireus vitalícios como por exemplo: Sansão (Jz 13.5,7), Samuel (1Sm 1.9-11) e João Batista (Lc 1.15). Cada nazireu desejava glorificar ao Senhor e obedecer à sua Palavra. Eles não se isolavam da sociedade, pois faziam a diferença dentro dela.
  3. Segundo Warren W. Wiersbe: “havia três responsabilidades envolvidas no voto nazireu. Primeiramente não deviam beber vinho, suco de uva, vinagre ou bebidas fermentadas, nem comer uvas, passas, cascas ou semente de uvas! Em segundo lugar, deviam deixar o cabelo crescer como sinal de que eram especialmente consagrados a Deus. Uma vez que os cabelos das mulheres já eram longos, talvez os deixassem soltos ou de algum modo despenteados como marca de sua consagração. Em terceiro lugar, jamais deveriam tocar o corpo de um morto, nem que fosse de um parente próximo.” Analisemos cada aspecto que envolvido nesse voto:

II- ABSTER-SE DO VINHO E DA BEBIDA FORTE:

  1. O nazireu prometia abster-se de vinho e bebida forte, o vinagre está incluso na lista de proibições, porque os hebreus o fabricavam de bebidas intoxicantes que tinham azedado. “Em Israel as bebidas fortes eram frutas de cevadas, uvas, maçãs, tâmaras, mel e pêras. Portanto estavam em foco todos tipos de cidras, licores, vinhos que tivessem qualquer conteúdo alcoólico por meio da fermentação natural.”( R.N Champlin).
  2. O nazireu para cumprir essas ordenanças, analisava o que comia( ou seja, o que mastigava) e o que bebia. O vinho era uma das principais bebidas das sociedades antigas, este quando ingerido em excesso deixava a pessoa bêbada e desnorteada, porém, enquanto os ímpios se embriagavam em orgias e nas danças, o nazireu era diferente, dava testemunho e procedia com retidão. Ele guardava o seu interior, rejeitando tudo o que não fazia parte do seu cardápio.
  3. Na Bíblia, Deus revela que dentre os jovens suscitou nazireus, porém o povo os embriagava com o seu vinho( Am 2.12). Quando isso acontecia o voto era quebrado imediatamente. Mas para um nazireu comprometido com Deus havia temor em seu coração, talvez alguém o dissesse: “Mas rapaz bebe o vinho, todo mundo toma, isso é besteira, é só um golinho”. Então o nazireu respondia: “Não, eu tenho um voto com Deus, sou consagrado, sou diferente e sou escolhido, eu sou crente!”

III- NÃO CORTAR O CABELO DA CABEÇA:

  1. O nazireu não cortava o seu cabelo, era identificado pelo testemunho e pelo cabelo( parte exterior) deixando-o crescer livremente. No versículo 7 da passagem a qual estamos estudando está escrito que o nazireu de Deus estava sobre sua cabeça. Ele era diferente no modo de se comportar, vestir e comer, ou seja, era santo. O seu cabelo era sua identidade, aonde ele passava alguém dizia: “ali vai o consagrado do Senhor.”
  2. Para o cristão, que é um nazireu, ou seja, “consagrado a Deus”, esse ato simboliza o impacto e a diferença que fazemos no mundo, desse modo os que estão ao nosso redor reconhecem que somos de Deus, e que Deus se importa tanto com o nosso interior(alma e espírito) quanto o exterior( corpo).

IV- NÃO SE APROXIMAR DE NENHUM CADÁVER:

  1. O nazireu não se aproximava de um cadáver, mesmo que este fosse de um parente. Ele não deixava se contaminar por coisas que estivessem sem vida, imóvel. Isso fala de santidade na vida do servo de Deus.
  2. Quando ele cumpria a palavra de Deus, mostrava que tinha compromisso com o Senhor. Ele era santo ao Senhor por todos os dias do seu nazireado.
  3. Na vida cristã a santidade é um fator progressivo, que todos os dias vai se aperfeiçoando, até chegar a vida eterna. Aprendemos que para herdar a vida eterna lá em cima, não devemos nos contaminar com as coisas mortas daqui de baixo. A ordem é bem clara: “não se aproximar de um morto.” Nós temos que se aproximar de quem tem vida para nós dar e vida em abundância, seu nome é Jesus.

Conclusão: Diante de uma sociedade impura, Deus conta com seus “nazireus” para fazer a diferença, homens e mulheres que não se embriaguem das coisas mundanas, que deem testemunho de cristão e que se afastem daquilo que não tem vida. Que sejam fiei em tudo, sem precisar sair do mundo, mas fazer a diferença dentro dele.

 Obras consultadas:

O Antigo Testamento Interpretado versículo por versículo- R.N Champlin [Hagnos].

Comentário Beacon Vol. 1 [Cpad]

Comentário Bíblico Expositivo- Warren W. Wiersbe Vol. 1 [Geográfica]