fbpx

Por Everton Edvaldo

Leitura Bíblica: (1 Crônicas 16. 7-9)

Introdução: Desde muito cedo estamos familiarizados com o livro de Salmos, quem nunca admirou o Salmo 23? e o que dizer do Salmo 91 que nos faz descansar em Deus? Nesse livro encontramos exemplos de consolo, alegria, fé e confiança para todas as circunstâncias da vida. Podemos ver que pela boca dos Salmistas, Deus é glorificado de uma forma tremenda! Mark Dever escreveu “Salmos é o livro mais longo da Bíblia. Ele contêm mais capítulos que qualquer outro livro da Bíblia, como também os capítulos mais longos e mais curtos da Bíblia. […] Sem dúvida, é o livro mais popular do Antigo Testamento.”

           I- SUA IMPORTÂNCIA:

  1. O livro dos Salmos representa uma coleção de cânticos, hinos e poemas hebraicos, oriundos de vários períodos da história de Israel; este livro era o hinário do povo de Deus. Ele fala das experiências do povo de Deus e mostra como era o coração dos adoradores naquele tempo. São 150 Salmos e 2.461 versos.
  2. Segundo o teólogo Pentecostal Myer Pearlman: “Nos Salmos, percebe-se como Deus toca todas as emoções da alma piedosa, produzindo cânticos de louvor, confissão, adoração, ações de graças, esperança e instrução. Até hoje, não foi achada linguagem melhor para que nós nos expressemos diante de Deus. As palavras dos Salmos são a linguagem da alma”.
  3. “Os Salmos têm uma importância especial na Bíblia. Lutero descreveu esse livro como “uma Bíblia em miniatura”. Calvino o descreveu como “uma anatomia de todas as partes da alma”, visto que, como explicou, “não existe emoção que não é representada aqui como em um espelho”. Johannes Arnd escreveu: “O que o coração é para o homem, os Salmos são para a Bíblia”. W. O. E. Oesterley descreve os Salmos como “a maior sinfonia de louvor a Deus que já foi escrita na terra” (BEACON); Abraham Lincoln confidenciou a um amigo a respeito dos Salmos: “Eles são ótimos. Encontro alguma coisa neles para cada dia do ano”.
  4. O Novo Testamento cita o livro de Salmos mais que qualquer outro livro. Segundo Beacon: “O lugar que os Salmos recebe no Novo Testamento claramente testifica sobre o valor desse importante livro. Dos aproximadamente 263 textos do Antigo Testamento citados no Novo Testamento, um pouco mais de um terço, ou seja, um total de 93 é tirado do livro de Salmos. Alguns deles, mais particularmente os Salmos 2 e 110, são citados diversas vezes”.

II- O NOME DO LIVRO:

  1. “O livro dos Salmos é o primeiro livro na terceira divisão da Bíblia hebraica. Conhecida como Kethubhim ou Escritos, essa terceira divisão era popularmente conhecida pelo nome do primeiro livro, isto é, “Os Salmos” (BEACON). Porém o próprio livro não tem título e nenhum título é encontrado em qualquer parte do Antigo Testamento, posteriormente os judeus lhe deram o nome de Sepher Tehillim ou “Livro dos louvores”. O moderno título desse livro foi a tradução da palavra hebraica Mizmor para o grego Psalmos, que indica um cântico para ser cantado com o acompanhamento de algum instrumento de cordas, como a harpa.
  2. O título em Português vem da Septuaginta Psalmoi significa “cânticos sagrados” e é derivado da raiz que significa “impulso, toque” em cordas de um instrumento, o título hebraico é Tehillim, e significa “cânticos de louvor”. Segundo o dicionário Bíblico Vine: Psalmos denotava primariamente “toque ou puxão com os dedos (em cordas musicais)”.

III- AUTORES E DATA:

  1. Muitos dos Salmos são anônimos e a autoria de alguns está em dúvida. Os autores geralmente reconhecidos são estes:
  2. a) Davi: Compôs cerca de 48,6% dos Salmos, ou seja, 73. Os seus Salmos em sua maioria são pedidos de socorro, e súplicas por livramento das enfermidades e perseguições. São eles: 3,4,5,6,7,8,9,11-32,34-41,51-61,63,64,65,68,69,70,71,86,101,103,108,109,110,122,124,131,133,138-145.
  3. b) Asafe: Segundo o Teólogo Severino Pedro: “Seus Salmos representam cânticos nacionais ou didáticos que celebram o triunfo das vitórias ou expressam o sofrimento das derrotas do povo. Também tinham como finalidade ensinar verdades morais.[…] Asafe era um profeta de Deus ligado à música, seus cânticos vinham diretamente de Deus e eram compostos por Davi (1 Cr 25.1,2)”. Seu nome significa: “O homem de quem Deus se apoderou”. Era um dos mestres no serviço do coro do tabernáculo no tempo de Davi, tinha dons relacionados à música e à profecia (1 Cr 6.39; 15.16-19; 2 Cr 29.30). Compôs 12 Salmos. São eles: 50,73-83.
  4. c) Os filhos de Coré: “Os filhos de Coré, por serem levitas (Nm 16.1), centralizam atemática de seus salmos no culto, no templo, na cidade santa”.(S.P. da Silva). Eram dirigentes da adoração em Israel, uma família talentosa na música. (compuseram 10 Salmos) São eles: 42,44,45,46,47,48,49,84,85,87.
  5. d) Salomão: Rei de Israel e filho de Davi, compôs 2 Salmos. São eles: 72,127.
  6. e) Etã: um cantor. Compôs o Salmo 89.
  7. f) Hemã: um cantor e profeta do rei ( 2 Cr 6.33; 15.19; 25.5,6). Compôs o Salmo 88.
  8. g) Moisés: o chefe e legislador de Israel. Compôs o Salmo 90.
  9. h) Anônimos: Cerca de 1/3 dos Salmos são anônimos, a eles se atribuem a autoria de Esdras, um escriba que ensinava a lei aos judeus depois do cativeiro babilônico(119); Ezequiel, rei de Judá; Ageu e Zacarias. Também a Jedutum, cantor-mor no tabernáculo( 1 Cr 25.10). São eles: 1,2,10,14,33,43,66,67,91-100,102,104-107,111-121,123,125,126,128,129,130,132,134,135,136,146-150.( 50 Salmos).
  10. Entretanto, como na melhor das hipóteses esses títulos representam apenas uma antiga tradição e não podem ser considerados como parte do texto original inspirado.

3.Data: O Salmo mais antigo vem de Moisés, no século XV a.C.( Sl 90); os mais recentes provêm dos séculos VI e V a.C. A maioria dos Salmos, no entanto foi escrita no século X a.C., durante a áurea da poesia em Israel, nos tempos de Davi e Salomão.

IV- OS TÍTULOS:

  1. De todos os Salmos apenas 34 não têm títulos, eles geralmente vêm impressos na tradução portuguesa acima do primeiro versículo. Embora os títulos não tenham feito parte do texto original do Salmo, são muito antigos. Esses títulos foram acrescentados posteriormente por um editor ou colecionador. Os tradutores da Septuaginta, ou versão grega da Bíblia hebraica, já encontraram esses títulos anexados aos Salmos, mas tão obscuros que eram incapazes de entender o seu significado geral.
  2. Os títulos contam inúmeros termos técnicos cujo significado foi perdido. Em geral, existem vários tipos de títulos. Há aqueles que descrevem a natureza do poema, ou seja, um Salmo como um cântico, Shir; um Salmo, Mizmor; um Salmo de louvor, tehillim; uma oração, tephillah; um Miktam; um Maskil; Shiggayon. Outro tipo de títulos é atribuído ao uso litúrgico dos Salmos. Segundo os estudiosos: Nos cultos havia a utilização de alguns Salmos como o Salmo 30 “um canto para a consagração do templo”, o Salmo 92 “um Salmo para o dia de sábado e os cânticos dos degraus( Sl 120-134)”.
  3. Eles também podem representar um autor, colecionador ou alguém a quem o Salmo foi dedicado: Davi, Salomão, Moisés, ou os filhos de Coré. Podem representar alguma mensagem musical como “ao músico chefe”, “para os jovens” ou talvez o tom de um hino como “de acordo com a corça da manhã”(22.1).
  4. O Pr Severino Pedro em seu livro: A Bíblia o livro de Deus apresenta um quadro com possíveis significados desses títulos, com base nisso, eis aqui um resumo adaptado:

Selá: sugere-se que essa palavra seja um sinal musical que significa “levantar”, indica uma “pausa” para o descanso ou para ênfase daqueles que cantam ou tocam.

Neginote: É um instrumento de música.

Neilote: Não é um instrumento de música, mas significa “herança”. Está no Salmo 5.

GititeSignifica “lagar”, “juízo”. Indica predições escatológicas.

Mute-Labem: Está no Salmo 9. Significa “morte de um filho”, e não é um instrumento de

música. Talvez tenha sido composto após a morte de Absalão (2 Sm 18).

Mictão: Está nos Salmos 56-60. Significa “oração” ou “meditação”.

Ajelé-Has-SaarEstá no Salmo 22 significa “veado da madrugada”, é um título e não um instrumento.

Jedutum: É visto nos Salmos 39,62,77; era um levita, mestre do cântico em Israel( 1 Cr 9.16; 16.38,41,42; 25.1,3,6; 2 Cr 5.12; 35.15; Ne 11.17). Parece que é o mesmo Etã que aparece no Salmo 89.

Masquil: Este título também é adaptado como Malate, no Salmo 53, talvez trazendo aideia de ser cantado de maneira tristonha.

Maalate-Leonote: É visto no Salmo 88, indica “doença por humilhação”. Talvez citado em conexão com a tristeza, em razão de ser este Salmo o mais tristonho de todos.

Sigaiom, Siminite, Sosanim Edute, Al-tchete, Alamote são títulos que estão ligados diretamente à música , e por essa razão não contêm um sentido especial.

V- CLASSIFICAÇÃO DOS SALMOS:

Essa classificação foi feita pelo erudito e teólogo Russell Norman Champlin:

  1. Lamentação, o maior grupo, com mais de 60 dos 150 salmos.
  2. Ações de graças e louvor, mais de 30.
  3. Hinos, cerca de 18.
  4. Salmos reais, cerca de 17.
  5. Salmos messiânicos, cerca de 15.
  6. Litúrgicos, cerca de 11.
  7. De sabedoria, cerca de 11.
  8. De história sagrada, cerca de 9.
  9. De chamamento à adoração, cerca de 8.
  10. De confiança, cerca de 5.
  11. Cânticos de Sião, cerca de 3
  12. De louvor à lei, cerca de 3.
  13. De proteção, cerca de 91 (outros exprimem sentimentos similares).
  14. De tipos mistos, nos quais nenhum tema é dominante, mas vários temas se fazem presentes.
  15. De oração pela vitória na batalha, Salmo 20 e partes de muitos outros.
  16. Didáticos, partes de muitos salmos, sendo o Salmo 15 um bom exemplo.
  17. De doxologia, o Salmo 150, que encerra a coletânea.

VI- A ESTRUTURA DO LIVRO:

  1. Segundo BEACON: “Desde os primórdios da sua história o livro de Salmos no hebraico tem sido subdividido em cinco “livros” ou divisões que são especificados na maioria das traduções modernas.O Livro I inclui os Salmos 1-41. O Livro II, inclui os Salmos 42-72, oLivro III, os Salmos 73-89, o Livro IV, os Salmos 90-106 e o Livro V, os Salmos 107-150.
  2. Midrash judaico, ou comentário dos Salmos, compara esses cinco livros com os cinco livros de Moisés, o Pentateuco. […] Um exame nos títulos dos salmos no Livro I revela que todos eles são creditados a Davi com exceção de 1; 2; 10 e 33. […]

3.Uma segunda coleção, aparentemente organizada mais tarde, é encontrada no Livro II, Salmos 42-72. Desse número, sete (42; 44-49) são dedicados “aos filhos de Corá”, um é identificado como sendo de Asafe (50), oito de Davi, um de Salomão (72) e quatro estão sem títulos (43; 66; 67; 71).

  1. No Livro III, o núcleo básico é formado por um grupo de salmos (73-83) atribuídos a Asafe, que era ministro de louvor de Davi (1 Cr 16.4-7). […] Os salmos nos últimos dois livros em sua maioria não têm descrição, embora um dos títulos atribua o Salmo 90 a Moisés; quinze salmos desse grupo são atribuídos a Davi, um a Salomão (127) e o Salmo 96 e parte do Salmo 105 a Davi conforme 1 Crônicas 16.7- 33.
  2. Existem três agrupamentos discerníveis de salmos no Livro IV. Os Salmos 90-99 formam um grupo de dez salmos sabáticos, e o Salmo 100 é o salmo tradicional para o dia da semana. Os Salmos 103-104 são os dois Salmos de Bênção e Adoração, que têm como base o refrão: “Bendize, ó minha alma, ao Senhor!”. Os Salmos 105-106 constituem dois “Salmos de Aleluia”.
  3. No Livro V temos dois grupos davídicos, 108-110 e 138-145, além de dois outros salmostambém atribuídos a Davi (112; 133). Os Salmos 113-118 são conhecidos como o Hallel egípcio (referindo-se ao Êxodo no Salmo 114). O “Hallel” é um cântico de louvor. Hallelu- Yah (“aleluia!”) no original hebraico significa “Louvai ao Senhor”. […] Os Salmos 120-134, “Cânticos dos Degraus” ou “Cânticos da Subida”, são um grupo de cânticos de peregrinos comemorando o retorno do exílio e usados pelos devotos na sua peregrinação anual a Jerusalém. Estes quinze salmos formam um saltério em miniatura, divididos em cinco grupos de três salmos cada. Os Salmos 146-150 são conhecidos como o Grande Hallel. Cada um desses cinco salmos inicia e termina com a palavra hebraica Hallelu- Yah, que significa: “Louvai ao Senhor”.

VII- O USO DOS SALMOS:

  1. No período do Antigo Testamento os Salmos eram usados para expressar pedidos, louvor e gratidão por parte dos adoradores de Deus. No Novo Testamento eles são citados mais do que outra obra do Antigo Testamento. Satanás citou o Salmo 91.11 no episódio da tentação de Jesus. É provável que o Senhor Jesus tenha citado o grande Halel (Sl 118) na última ceia. Ele citou os Salmos 22.1 e 35.5 na cruz. Os hinos que Paulo e Silas cantavam na prisão de Filipos eram provavelmente os Salmos. A igreja Primitiva os empregava nos cultos públicos e nas casas( Ef 5.19; Cl 3.16; 1 Co 14.26).
  2. Segundo Severino Pedro: “ Os antigos rabinos reportam que na adoração no templo os Salmos eram cantados pelos levitas depois da oferenda diária de libação do vinho. Estes Salmos, que eram principalmente litúrgicos foram divididos em três seções, e nos intervalos, os sacerdotes da linhagem de Arão davam vários toques de trombeta. Havia uma série de Salmos para cada dia da semana:
 

1°. Salmo 23, o do Bom Pastor, para o domingo;

2°. Salmo 47 para a segunda-feira;
3°. Salmo 81 para a terça-feira;
4°. Salmo 93 para a quarta-feira;
5°. Salmo 80 para a quinta-feira;
6°. Salmo 92 para a sexta-feira;
7°. Salmo 91 para o sábado.

 

  1. Cantava-se também 15 Salmos, chamados “Cântico das Ascensões”, nas festas dos tabernáculos.[…] Era entoado pelos adoradores que anualmente vinham prestar sua adoração a Deus depois da colheita”. Também era conhecido como Cânticos dos Degraus ou Cântico de Romagem. Eram os Salmos 120 ao 134.

 

Conclusão: Sem dúvida, o livro de Salmos têm trazido e continuará trazendo mensagens da parte de Deus para seu povo, sendo acima de tudo um livro inspirado pelo Espírito Santo. Nele encontramos orações que foram respondidas, livramentos, súplicas e promessas que foram cumpridas. Mostrando para nós a grandeza e a fidelidade do nosso Deus.

O louvor é uma das formas mais belas de se expressar diante de Deus.

É louvando a Deus que a nossa alma se alegra. Certamente o Senhor se agrada ao ouvir dos altos céus os seus filhos entoando cânticos a ele. Os salmos faziam parte tanto da adoração pública e coletiva quanto individual do povo de Deus.

Nós também devemos incorporar esses exemplos para nossa vida espiritual e devocional. Adoramos a Deus tanto com a nossa vida quanto com o nosso louvor. Sendo assim, cantemos e alegremo-nos no Senhor, porque dele procede todo o fôlego e inspiração.

“Louvai ao SENHOR! Ó minha alma, louva ao SENHOR! Louvarei ao Senhor durante a minha vida; cantarei louvores ao meu Deus enquanto viver.” (Salmos 146 1,2)